Entrevista com o nutricionista Rafael Claro sobre o VIGITEL

A+ A- Assine a Newsletter Facebook Twitter

Siga-me no Twitter

Pesquisador do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP). Nutricionista e Doutorando no programa de Nutrição em Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP/USP). Mestre em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (2006). Consultor técnico do VIGITEL desde 2006.

O que é ViGITEL?

O VIGITEL (Vigilância de fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) é, como o próprio nome já diz, um sistema do Ministério da Saúde desenvolvido para o monitoramento de comportamentos de risco ou proteção para doenças crônicas na população das capitais brasileiras e do Distrito Federal. É o primeiro sistema de vigilância desse tipo no país, e um dos únicos da América Latina.

O que são doenças crônicas?

Doenças crônicas são doenças que apresentam longa duração e, geralmente, uma evolução lenta. Alem disso, essas doenças não são transmitidas de pessoa para pessoa sendo sua origem relacionada ao estilo de vida (como má alimentação e tabagismo) e condições naturais dos indivíduos (como sexo e idade). Entre os tipos mais freqüentes de doenças crônicas destacam-se: doenças cardíacas, câncer, doenças respiratórias crônicas, diabetes e hipertensão arterial. Segunda a organização mundial da saúde (OMS) as doenças crônicas são a principal causa de morte ao redor do mundo, representando cerca de 60% de todas as mortes.

Por que esta pesquisa foi realizada por telefone, como saber se estão falando a verdade?

Podemos destacar inúmeras vantagens de estudos realizados por telefone sobre os estudos realizados “face a face”. As principais são a grande praticidade e o baixo custo desse tipo de estudo. Uma vez que as entrevistas são todas realizadas em uma central telefônica isso nos permite contatar a pessoa entrevistada com antecedência e agendar um horário conveniente para realização da entrevista (podendo ser realizada até no período noturno ou durante os fins de semana) que pode inclusive ser interrompida e reiniciada caso necessário. Já a vantagem do custo é inegável, uma entrevista telefônica custa 70% mais barato do que uma entrevista feita por um entrevistador no próprio domicílio.

Como em todo tipo de pesquisa na qual o entrevistado é convidado a responder uma questão (como ocorre até mesmo em pesquisas eleitorais) conta-se, em determinado nível, com a honestidade do entrevistado. Para isso, os respondentes do estudo são sempre avisados que se trata de uma pesquisa séria, realizada pelo Ministério da Saúde, com intuito de melhorar as condições de saúde da população brasileira. Além disso, fazemos estudos complementares, nos quais alguns domicílios são procurados após o término da entrevista do estudo principal (VIGITEL) no intuito de verificarmos a respostas dadas no primeiro momento (inclusive visitando alguns domicílios). Todos esses estudos mostraram grande nível de qualidade nas informações obtidas por entrevistas telefônicas.

De que forma pode-se dizer que entrevistando o maior município do pais (SP) e por exemplo Aracaju, podemos dizer que em média apenas 2000 linhas telefônicas, em cada uma destas cidades, representam proporcionalmente a mesma população?

O número de duas mil ligações foi estimado no intuito de fornecer dados com uma baixa margem erro (de forma muito semelhante a pesquisas de intenção de votos em uma eleição). Contudo, para assegurar que esses dados representem por completo sua cidade e o conjunto das capitais de estado (e Distrito Federal) procedemos com um rigoroso tratamento estatístico após a conclusão da pesquisa. Esse tratamento consiste em conferir “pesos” aos indivíduos entrevistados afim que a população efetivamente pesquisada se assemelhe ao máximo a população real da cidade.

Foram feitas ligações para celulares?

Não. No entanto, conduzimos no ano passado um estudo semelhante ao VIGITEL no qual ligamos apenas para telefones celulares de duas capitais de estados brasileiros: uma cidade com grande cobertura de telefonia fixa (Belo Horizonte) e outra com baixa cobertura de telefonia fixa (Maceió). Após submeter essas entrevistas ao mesmo tratamento estatístico dado às entrevistas realizadas por telefone fixo concluímos que a inclusão de ligações para celulares não eram necessárias (ambas apresentaram os mesmos resultados), além de resultarem num aumento muito grande do custo do estudo.

No estudo do IBGE passado, muitas pessoas não atenderam os agentes deste órgãos. Lembro-me que o Jornal Nacional passou durante uns TRÊS dias sobre a importância do censo. Como foi a aceitação para este projeto?

Diferentemente das entrevistas “face a face”, na entrevista por telefone a pessoa entrevistada fica menos exposta, dado que nós não conhecemos o endereço dos indivíduos e nem é necessário receber um entrevistador em seu domicílio. Com isso obtivemos uma aceitação muito boa em nosso estudo, em média, a cada ano, apenas 4% das pessoas contatadas se negam a responder o estudo. Além disso, disponibilizamos no contato inicial um telefone 0800 (para contato gratuito, o Disk Saúde do ministério da saúde) pelo qual o entrevistado pode se certificar que se trata de um estudo real do ministério da saúde. Finalmente, é esclarecido no primeiro contato que o estudo não inclui perguntas que explicitem o nível econômico do entrevistado (como seu salário ou a marca/modelo de veículo que possui) ou que possibilitem sua identificação no futuro (como endereço, nome completo ou dados de seus documentos).

Alguém recebeu dinheiro para ser entrevistado?

Não. A participação no estudo não é remunerada.

O Ministério da Saúde afirmou que os brasileiros estão mais ativos, pois houve um aumento de cerca de 5% de novos praticantes de atividade física (23% para 28%). O VIGITEL encontrou o mesmo?

Devemos lembrar que os resultados podem variar entre estudos, de acordo principalmente com a população estudada. Contudo, os dados do VIGITEL apontam para a mesma tendência, com crescimento dos níveis atividade física. Contudo, nossos resultados apontam para crescimento apenas entre os homens (de 18,3 a 20,6 entre 2006 e 2008) com os níveis de atividades para mulheres permanecendo estáveis próximos a 13%.

Qual é o numero de pessoas que fumam hoje? Em qual cidade se fuma mais? E a bebidas alcoólica como esta?

Dados do VIGITEL 2008 indicam que cerca de 15% dos adultos residindo nas capitais de estado são fumantes. Já o consumo abusivo de álcool (Adultos que, nos últimos 30 dias, consumiram mais do que quatro doses (mulher) ou mais do que cinco doses (homem) de bebida alcoólica em uma mesma ocasião). A grande diferença entre é que enquanto o a proporção de fumantes tem se mantido estável desde 2006 a proporção de pessoas que referem consumo abusivo de álcool aumentou 3%, tanto entre os homens quanto entre as mulheres.

Como as pessoas podem avaliar seu próprio estado de saúde, como é proposto pelo VIGITEL?

Esse tipo de avaliação fica totalmente a cargo da pessoa entrevistada. Ainda que fatores externos possam alterar nossa avaliação sobre nossa saúde, sabe-se que pessoas que passam uma grande parte de seu tempo doentes, ou vivem em ambientes que predispõe doenças (com pouca higiene, por exemplo) tendem a reportar uma pior condição de saúde.

Como está a prevenção para os cânceres de próstata e mama atualmente? Existem outros cânceres que preocupam o Ministério da Saúde?

Além desses preocupam principalmente os cânceres de pulmão e de útero. No entanto, tipos menos freqüentes de câncer também são alvo de campanhas específicas de tempos em tempos, uma vez que medidas preventivas e a detecção inicial dos casos são a forma mais efetiva de combate a doença.

Como foi avaliado o consumo alimentar por telefone? Como saber se o copo de suco que o pesquisado refere, é realmente o esperado?

Em relação ao consumo alimentar, avalia-se a freqüência e quantidade de consumo de frutas e hortaliças, carnes com gordura e frango com pele, além de leite integral. Os primeiros por serem fontes de fibras, vitaminas e minerais, elementos essenciais para uma boa saúde; e os últimos por serem fontes de gorduras saturadas, um tipo de gordura relacionado a doenças do coração e que deve ser evitado em nossa alimentação. A fim de se obter informações de maior precisão, nossos entrevistadores são treinados constantemente e devido a esse treinamento estão aptos a conduzir as entrevistas de forma padronizada, fornecendo aos entrevistados as informações necessárias para uma resposta bem informada (como o tamanho de um copo, de uma dose de bebida ou de uma porção de frutas).

O resultado encontrado foi dentro do esperado?

Em termos. Ainda que houvesse uma suspeita sobre as condições de alimentação da população o país ainda não contava com um raio-x tão detalhado de seu consumo alimentar. Na prática, o brasileiro ainda consome uma quantidade insuficiente de frutas, legumes e verduras aliado a uma quantidade excessiva de alimentos fonte de gordura saturada. Contudo, o ponto positivo do consumo alimentar diz respeito ao aumento no consumo de frutas e hortaliças e a redução no consumo de gorduras saturadas verificado entre 2006 e os dias atuais.

Quais são os grupos alimentares mais deficientes na população estudada? Existe correlação com as doenças crônicas citadas?

Sem sombra de dúvidas o ponto fraco da alimentação do brasileiro se volta ao consumo insuficiente de frutas, legumes e verduras. Sabe-se que menos de 20% da população das capitais consome esses alimentos em nível adequado (400g ou cerca de 5 porções ao dia). A relação entre o consumo desses alimentos e doenças crônicas é direta. Estudos realizados no Brasil e no exterior demonstram que pessoas que consomem uma quantidade insuficiente de frutas, legumes e verduras possuem uma maior chance de ficarem obesas, diabéticas, hipertensas e desenvolverem certos tipos de câncer.

Quais são as orientações do VIGITEL em relação as mudanças de comportamento para melhorar a qualidade de vida?

Até o presente momento o VIGITEL se dedica exclusivamente a obter informações sobre o comportamento dos indivíduos. As orientações para mudança de comportamentos nocivos são feitas em seguida, à população do Brasil por meio de Campanhas do Ministério da Saúde e Políticas Públicas, e, aos usuários do SUS, diretamente durante seu atendimento nos centros de saúde e hospitais.

Quais foram os avanços e retrocessos de 2006 para 2008, a respeito do VIGITEL?

Pouca coisa mudou na forma de se obter as informações desde 2006. Na prática, a principal mudança está no aumento da agilidade na obtenção e análise das informações. Atualmente todas as cidades são pesquisadas durante todos os meses do ano, possibilitando avaliar instantaneamente o efeito de novas políticas públicas, como a Lei que proíbe a combinação entre bebida alcoólica e direção. Um mês após a implementação da lei pudemos verificar que o número de motoristas dirigindo sob influência de bebida alcoólica havia diminuído (informação confirmada mais tarde pelas polícias Militar e Rodoviária).
Obs.: O blog Nutrição Para Todos agradece ao nutricionista Rafael Claro pela entrevista!
Para outras informações consulte http://nutricaoparatodos.blogspot.com/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0
Como você avalia este conteúdo?
VN:F [1.9.13_1145]
Rating: 0.0/5 (0 votos)
Avaliação deste conteúdo:

Deixe seu comentário