Criança hipertensas e obesas

A+ A- Assine a Newsletter Facebook Twitter

Entre na Rede NUTRItodos


Filho de peixe, peixinho é!

Temos observado crianças com o mesmo perfil dos pais com relação à obesidade e à hipertensão. Por isso, temos que cuidar da alimentação de toda a família. Vamos ver agora algumas dicas.
Uma alimentação rica em sal e em sódio contribui para o aumento da pressão arterial. Aliado a isso, se a criança ingerir muita gordura e açúcar na alimentação poderá engordar demais e, devido ao excesso de peso, a pressão arterial poderá aumentar. Temos então um círculo vicioso. Por isso, uma alimentação desequilibrada é um fator ambiental que se associa ao genético para a ocorrência da hipertensão. É importante consultar um médico para ver o (s) motivo (s) da hipertensão, pois existem outros. Quando a pessoa está com a pressão aumentada, nem sempre tem sintomas como dor na nuca ou de cabeça, por isso ela é chamada de “doença silenciosa”.

Os alimentos ou produtos que contém grande quantidade de sal/sódio são: enlatados, conservas, salgadinhos em geral, salgadinhos e macarrão instantâneo de pacote, queijos salgados (prato, provolone, parmesão, muçarela,…), frios (presunto, salame, copa, mortadela,…), embutidos (linguiças e salsichas); temperos, sopas e molhos prontos industrializados. Caso utilize algum desses produtos, leia o rótulo atentamente e escolha os que tenham menos quantidade de sódio. A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou uma pesquisa alertando a população de que esses produtos são muito ricos em sódio, e que varia muito o teor de sódio de um produto para outro, dependendo do fabricante.

Outro cuidado importante é evitar o consumo excessivo de adoçantes, produtos dietéticos (gelatina, pudim, doce, chocolate, chás, refrigerantes e sucos) que utilizem sacarina de sódio e/ou ciclamato de sódio.
A criança hipertensa não precisa eliminar totalmente o sal da sua alimentação, e nem pode, mas deve sim controlar a quantidade usada e não utilizar o saleiro à mesa. A quantidade máxima de sal é de 5 gramas/dia (2 gramas estão contidas naturalmente nos alimentos e as outras 3 gramas = 3 colheres de café rasas de sal serão usadas no preparo da alimentação).

Para realçar o sabor dos alimentos, e não sentir tanto a falta do sal, podemos usar e abusar dos temperos naturais, tais como: alho, cebola, salsa, salsinha, cebolinha, orégano, cominho, manjericão, manjerona, gengibre, páprica, cravo, noz moscada, alecrim, sálvia, pimenta, tomilho, hortelã, entre outros, e também o limão ajuda nesse sentido. A redução da quantidade do sal da alimentação deverá ser feita aos poucos, para que a criança não pare de comer.
Uma alimentação saudável, não só para a criança hipertensa e obesa, como para toda a família, deverá incluir:
- hortaliças (verduras e legumes) e frutas frescas (as cruas tem mais potássio);
- cereais de preferência integrais por conta das fibras (aveia, trigo, milho, arroz, cevadinha, quinua);
- tubérculos (batata, batata doce, inhame, cará, mandioca, mandioquinha);
- pães, torradas, massas e bolachas de preferência os produtos integrais;
- carnes magras (peixe, frango ou boi);
- leite e substitutos desnatados (iogurte, coalhada, queijos magros: ricota, cottage, queijo minas e o minas light que tenham menos sódio);
- leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, grão de bico ou soja);
- óleos vegetais (canola, oliva, girassol, milho ou soja);
- margarina light sem sal, maionese light;
- oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas).
Esses alimentos fazem parte da dieta DASH (“Dietary Approaches to Stop Hypertension”) que foi um estudo para verificar o efeitos da dieta em reduzir a pressão arterial, mas que é saudável também para cuidar do nosso coração.
O cardápio deverá ser o mais variado possível, colorido e gostoso.
É importante envolver a criança nesse processo, convidando-a a participar da compra dos alimentos saudáveis, do seu preparo com a supervisão de um responsável, para que ela veja que dá para ter uma alimentação saudável e gostosa ao mesmo tempo.

A consequência natural será um peso mais adequado, o controle da pressão arterial da criança e um futuro melhor, para que ela se torne um adulto com mais saúde e com qualidade de vida.

Obs.: A Reportagem acima não substitui a consulta com nutricionsita.  O Blog NUTRItodos agradece a  Adriana Ávila CRN3- 2816 e aproveita para divulgar seu novo consultório e site.

0
Como você avalia este conteúdo?
VN:F [1.9.13_1145]
Rating: 5.0/5 (1 votos)
Avaliação deste conteúdo:
Criança hipertensas e obesas, 5.0 out of 5 based on 1 rating

Deixe seu comentário