Grupo Pão de açúcar paga 260 mil por racismo

A+ A- Assine a Newsletter Facebook Twitter

Siga-me no Twitter

Foi publicado hoje no Jornal O Estado de São Paulo (Cidades/Metrópole-C5), reportagem sobre um garoto, o qual, sofreu racismo no supermercado Extra da Penha, zona leste de São Paulo. O garoto negro T., de 10 anos foi abordado por seguranças desta rede como “negrinho sujo fedido”, e foi obrigado a tirar a rouba por suposto furto. Os seguranças perceberam que a criança não havia furtado, pois estava com a nota fiscal da compra. O caso foi registrado no 10º DP (Penha) e ocorreu no dia 13 de janeiro.

Apesar da indenização de R$ 260 mil reais, o Grupo Pão de açúcar afirma “não reconhecer”, as alegações. O Grupo fez “por mera liberalidade e sem qualquer assunção de culpa nas esferas cível ou criminal”. Os seguranças foram demitidos!

Escreva seu comentário sobre essa reportagem.

0
Como você avalia este conteúdo?
VN:F [1.9.13_1145]
Rating: 5.0/5 (1 votos)
Avaliação deste conteúdo:
Grupo Pão de açúcar paga 260 mil por racismo, 5.0 out of 5 based on 1 rating

Um comentário para “Grupo Pão de açúcar paga 260 mil por racismo”

  1. Ministério da Saúde disse:

    Olá equipe do Nutri Todos,

    A Hepatite B é uma doença silenciosa que, em sua forma crônica, atinge mais de dois milhões de brasileiros. Apesar de ser uma doença comum, nem todos conhecem as formas de transmissão ou prevenção, como a vacina, que está disponível nos postos de saúde. Para diminuir os riscos e consequências da Hepatite B, precisamos reforçar a divulgação das informações básicas. Por isso, contamos com sua ajuda. Entre em contato para receber todo o material da campanha!

    Muito obrigada,
    Ministério da Saúde

Deixe seu comentário